Triagem biológica de compostos híbridos de derivados azólicos com produtos naturais para identificação de candidatos a agentes fungicidas.

Resumo: Infecções causadas por microrganismos resistentes a múltiplas drogas (MDR) constituem um dos maiores problemas da comunidade médica atualmente, visto que são associadas a morbidade e mortalidade consideravelmente elevadas (LAXMINARAYAN et al., 2016; SHARLAND; SAROEY; BEREZIN, 2015). As consequências da resistência a antimicrobianos têm repercussão mundial culminando num cenário de pouca ou nenhuma opção terapêutica disponível para o tratamento de muitas destas infecções, gerando um aumento exorbitante nos custos médicos devido a necessidade do uso de antimicrobianos mais caros, terapias de suporte e aumento na estadia hospitalar (HUTTNER et al., 2013). Nas últimas décadas, houve um aumento relevante na ocorrência de infecções fúngicas invasivas (IFI) por espécies dos gêneros Candida e Aspergillus em hospitais terciários de diferentes regiões do mundo (MAGILL et al., 2014; MEERSSEMAN et al., 2007). Anualmente, os fungos patogênicos causam bilhões de infecções, com aproximadamente 1,5 milhões de mortes atribuíveis (BROWN et al., 2012). O ônus gerado ao sistema de saúde pública é comparável ao observado com as doenças infecciosas mais notáveis, como a tuberculose e a malária, entretanto o impacto das infecções fúngicas na saúde humana tem sido amplamente negligenciado (ARMSTRONG-JAMES et al., 2014). Dado que azólico é a classe mais amplamente utilizada de antifúngicos, há uma longa história de desenvolvimento de novos análogos com eficácia e segurança melhorada. Uma das opções no desenvolvimento de novos fármacos é retomar a triagem de produtos naturais a fim de identificar e desenvolver novos caminhos para a descoberta de antifúngicos. Contudo, nosso estudo visa avaliar ação antifúngica de 22 derivados triazólicos obtidos a partir de fontes naturais, como por exemplo, derivados triazólicos de eugenol, gingerol, ácido cafeico, isatina e 6-hidroxi-flavanona. Esperamos demonstrar atividade antifúngica em parte dos híbridos azólicos desenvolvidos.

Data de início: 2019-06-17
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Pedro Alves Bezerra Morais
Coordenador Moises Palaci
Coordenador Sarah Goncalves Tavares
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105