Potenciais biomarcadores como preditores de câncer de colo uterino e anal por genótipos de HPV de alto risco em populações vulneráveis (soropositivos para HIV e mulheres quilombolas)

Resumo: A infecção por papilomavírus humano oncogênicos ou de alto risco (HR-HPV) é o principal fator de risco para o câncer anogenital, uma das principais causas de morbidade e mortalidade em mulheres. Algumas populações são mais vulneráveis ao desenvolvimento de câncer do colo do útero, seja devido à imunossupressão, como no caso de mulheres soropositivas para HIV (HIV+), ou devido ao acesso limitado aos serviços de saúde, como no caso de mulheres quilombolas. O câncer anal, embora raro na população em geral, possui maiores incidências em homens que fazem sexo com homens e em indivíduos HIV+. Ações de controle do câncer do colo do útero consistem na prevenção por meio da vacinação e no rastreio de lesões precursoras por meio da citopatologia, práticas adotadas no Brasil.
Apesar disso, a incidência de câncer continua elevada na população o que implica na necessidade de estabelecimento de metodologias que sejam mais eficazes no rastreio de lesões anogenitais precursoras do câncer. A detecção molecular de HPV tem desempenhado papel promissor no rastreio do câncer. Além disso, biomarcadores como
preditores de progressão para o câncer, como a quantificação e expressão de oncogenes virais, emergem como ferramentas adicionais, garantindo maior sensibilidade e especificidade na detecção de lesões intraepiteliais de alto grau (HSIL) e câncer. Este projeto tem como objetivo investigar se carga viral e expressão de oncogenes dos HR-HPV mais prevalentes estão relacionadas com lesões cervicais e anais em populações vulneráveis, HIV+ e mulheres quilombolas. Destas populações vulneráveis, serão analisadas 323 amostras positivas para HR-HPV, correspondentes aos vacinais, de espécimes com e sem lesão, detectados em secreção cervical de mulheres HIV+ e quilombolas e em escovado anal de homens e mulheres HIV+. Serão inseridas ainda amostras obtidas em 2018 de mulheres quilombolas. DNA do HPV será evidenciado por PCR e as amostras positivas serão genotipadas por hibridização reversa em linha (RLB) para determinação dos HR-HPV vacinais 16, 18, 31, 33, 45, 52 e 58. Desses genótipos serão estimadas a carga viral e expressão de oncogenes por Real-Time PCR (qPCR) com iniciadores e sondas específicos. Serão analisadas se há associação entre carga viral e expressão de oncogenes dos HR-HPV com os diferentes graus
de lesão anogenital, que os revelem como possíveis biomarcadores de lesão e câncer. Este estudo contribuirá para produção de ciência voltada para as questões de saúde da população visto que se propõe a fornecer subsídios para o rastreio de câncer e consequente redução da incidência do câncer anogenital.

Data de início: 2018-09-03
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Liliana Cruz Spano
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105