Avaliação dos fatores de risco para abortamento no primeiro trimestre - Estudo Caso-controle

Resumo: Abortamento no primeiro trimestre gestacional ou abortamento precoce é definido pela OMS por perda fetal que ocorre até o fim da décima segunda semana de idade gestacional. Abortamentos espontâneos têm sido relatados em pelo menos 20% de todas as gestações. Além disso, um grupo selecionado de mulheres sofre de abortos recorrentes (três ou mais consecutivos), contudo, representam uma pequena parcela da população feminina em idade fértil (menos de 15% das gestantes que abortaram). Fatores de risco específicos têm sido estudados e associados ao crescimento do risco de abortamento, incluindo as trombofilias e anormalidades genéticas. Entretanto, os fatores determinantes para a maioria dos episódios de abortamento ainda não estão completamente elucidados, sendo que muitos deles ainda são controversos e não confirmados. Alguns dos fatores de risco sugeridos pelos estudos mais atuais possuem uma associação bem definida para a ocorrência de abortamento, tais como idade materna avançada, história prévia de aborto e infertilidade, entretanto, a interação dos mesmos é complexa e ainda pouco compreendida. O consumo de álcool, de cafeína e o tabagismo são fatores que ainda carecem de confirmação. Evidências do efeito benéfico da suplementação vitamínica, particularmente de ácido fólico, na redução do risco de perda fetal ainda são controversas. Dessa forma, existe uma clara necessidade de evidências mais concretas acerca daqueles fatores que desempenham um papel protetor e daqueles que aumentam o risco de perda fetal. Estudos de coorte prospectivo são, teoricamente, o delineamento de estudo ideal para se evitar erros de sistematização, contudo, são estudos dispendiosos, demorados e complexos, do ponto de vista técnico-estrutural. Uma abordagem alternativa, prática e barata seria a aplicação de um questionário, no qual mulheres em idade fértil e gestantes seriam questionadas sobre sua história reprodutiva, incluindo também as perdas fetais que ocorreram em todas as gestações.

Data de início: 2009-04-01
Prazo (meses): 12

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Luiz Cláudio França
Vice-Coordenador Angelica Espinosa Barbosa Miranda
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105