Vigilância epidemiológica e ambiental de SARS-CoV-2 na Região Metropolitana de Vitória - ES

Resumo: O aumento da interface homem-animal levou à recente emergência do terceiro coronavírus zoonótico associado à síndrome respiratória aguda grave (SARS), denominado SARS-CoV-2, caracterizado como vírus pandêmico com menos de quatro meses de seu primeiro relato (Guo et al., 2020).
O SARS-CoV-2 é eliminado em secreções respiratórias e fezes de indivíduos sintomáticos e assintomáticos, porém, no Brasil ainda há uma importante subnotificação ou desconhecimento da disseminação viral nestes indivíduos (Xu et al., 2020). Sabe-se que a transmissibilidade do vírus é possivelmente maior antes do desenvolvimento dos sintomas, no entanto, apenas o início das manifestações clínicas são utilizadas como parâmetros para o isolamento do indivíduo. Porém, ainda há pouca ou nenhuma informação sobre: (i) indivíduos que foram infectados e se mantiveram assintomáticos, e que são potenciais agentes de disseminação viral; (ii) se a carga viral em secreções respiratórias e em fezes de infectados pode predizer o pico da infecciosidade e disseminação viral; (iii) qual o impacto para a saúde pública causado pela contaminação de águas residuárias com fezes contendo SARS-CoV-2.
Com a finalidade de solucionar estas lacunas relevantes para o controle da doença infecciosa e sua disseminação, destacamos três ações necessárias. Primeira, caracterizar a taxa de infecção de indivíduos assintomáticos, contactantes ou não de indivíduos com COVID-19, que contribuem para disseminação viral “silenciosa” na população, por meio de detecção viral em secreções respiratórias e fezes e de anticorpos séricos. Segunda, determinar a carga viral de SARS-CoV-2 nas secreções respiratórias e fezes de indivíduos assintomáticos ou sintomáticos em diferentes fases da COVID-19. Terceiro, detectar e quantificar SARS-CoV-2 em águas residuárias na região Metropolitana de Vitória.
Proposta desta natureza, com abordagem OneHealth, ainda não foi realizada no Brasil. Portanto, o conhecimento obtido servirá de subsídio para as estratégias de Vigilância Epidemiológica e Ambiental e auxiliar no controle da pandemia pela COVID-19 e na predição de uma possível re-emergência na população.

Data de início: 2020-06-22
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Liliana Cruz Spano
Pesquisador Sandra Lúcia Ventorin von Zeidler
Vice-Coordenador Regina de Pinho Keller
Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105