Análise Histopatológica e Imuno-histoquímica da Erupção Papular Prurítica Associada ao Vírus da Imunodeficiência Humana.

Nome: Brunela Bastos Tozzi
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 22/06/2012
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Patrícia Duarte Deps Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Angelica Espinosa Barbosa Miranda Examinador Interno
Fausto Edmundo Lima Pereira Suplente Interno
Norma Suely Oliveira Garcia Examinador Externo
Patrícia Duarte Deps Orientador
Sandra Maria Bitencourt Miranda Suplente Externo

Resumo: Introdução: A Erupção Pápulo Prurítica (EPP) é caracterizada pela presença de pápulas eritematosas pruriginosas de evolução crônica que afetam, com frequência, pacientes soropositivos. As lesões ocorrem em diferentes estágios evolutivos, preferencialmente no tronco e extremidades, e evoluem com hiperpigmentação pós inflamatória e/ou cicatrizes decorrentes da coçadura. Objetivos: Avaliar os aspectos histopatológicos e imuno-histoquímicos das lesões de EPP. Metodologia: Foram selecionados pacientes HIV positivos com diagnóstico clínico de EPP atendidos no Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (HUCAM) da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), em Vitória-ES. Os pacientes foram submetidos a um exame dermatológico criterioso, as lesões fotografadas e biospiadas. Resultados: Trinta e nove pacientes com EPP foram biopsiados; 17 eram mulheres e 22 homens; a média de idade foi 40,2 anos variando de 25 a 63 anos. Dentre os aspectos histopatológicos nas biópsias, 6 padrões foram encontrados com frequência sendo esses: 1) Infiltrado Inflamatório Perivascular Dérmico; 2) Infiltrado Inflamatório comprometendo a Unidade Folicular; 3) Infiltrado Inflamatório Intersticial; 4)Infiltrado Inflamatório no Subcutâneo; 5) Infiltrado Inflamatório comprometendo pelo menos um Nervo; 6) Sinal da Coçadura na Epiderme. Na imuno-histoquímica, as células de Langerhans encontram-se em quantidades normais na epiderme e relativamente aumentadas nos infiltrados inflamatórios dérmicos. Há predomínio de linfócitos T CD8+ nesses infiltrados, assim como de macrófagos e diminuição dos linfócitos T CD4+. Resultado negativo foi encontrado em todos os casos, tanto na pesquisa de micobactérias utilizando-se a coloração Ziehl-Neelsen, quanto na pesquisa de fungos utilizando-se a coloração Grocott. Discussão e Conclusões: Foram identificadas e agrupadas as alterações mais frequentes presentes nas biópsias, afim de se obter um conjunto de alterações histopatológicas e imuno-histoquímicas que descrevessem e caracterizassem esta entidade, facilitando o seu diagnóstico. O infiltrado inflamatório perivascular dérmico é imprescindível para o diagnóstico, e as demais são alterações teciduais variáveis, que podem estar presentes juntas ou separadas, em momentos diferentes da doença.
Palavras chaves: Erupção papular prurítica, AIDS, HIV, prurido.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105