Níveis de anticorpos contra o antígeno de superfície do vírus da Hepatite B (Anti-HBS) em escolares da primeira série do ensino fundamental, no Município de Vitória, com e sem helmintos intestinais e/ou reação sorológica positiva para Toxocara canis.

Nome: Marisa Buriche Coutinho Liberato de Macedo Monteiro
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 25/07/2006
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Fausto Edmundo Lima Pereira Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Aparecida das Gracas Carvalho Gomes Examinador Interno
Fausto Edmundo Lima Pereira Orientador
Rodrigo Ribeiro Rodrigues Examinador Interno

Resumo: Introdução. Infecções helmínticas induzem imunomodulação que pode interferir nos diferentes mecanismos imunitários, inclusive na manutenção da memória imunológica, podendo, portanto, interferir na eficácia da vacinação contra o vírus B da hepatite (VHB). Objetivos. Avaliar, em uma amostra de escolares com 7 anos de idade, os títulos de anti-HBs e anti-HBc e a prevalência de helmintíases intestinais e de anticorpos anti-Toxocara. Material e métodos. 195 escolares, matriculados na primeira série do ensino fundamental em oito escolas de Vitória, saudáveis, vacinados ao nascer contra o VHB (vacina recombinante), nos quais foi feita a pesquisa de anticorpos anti-Toxocara (ELISA IgG, CELISA, Cellabs Pty Ltda. Brokvale, Austrália), exame parasitológico de fezes e hemograma completo. O anti-HBs e anti-HBc foram avaliados com kits comerciais (Axsym Ausab e Axsym Core, da Abbot). Resultados. 103 crianças eram do sexo masculino. A média de idade foi de 7,27 anos. O estado nutricional era bom, demonstrado pelos valores das medianas da hemoglobina e dos linfócitos circulantes (respectivamente de: 12,1 g/dL e 2415/mm3). Em 40 havia pelo menos um helminto intestinal e em 90 a sorologia para Toxocara apresentou densidade óptica acima de 0,500, considerada como positiva para infecção com o Toxocara. Em 100 crianças havia ou sorologia positiva ou presença de um helminto ou ambas. A média geométrica dos títulos de anti-Hbs foi de 22,64 UI/L e 65 (33,84%) crianças apresentaram títulos abaixo de 10 UI/L. Nenhuma criança foi reagente para o anti-HBc. Não houve diferença significativa na freqüência de títulos do anti-HBs menores de 10 UI/L nem na média geométrica dos títulos em relação a presença de helmintos intestinais e/ou sorologia positiva para Toxocara. Conclusão. A presença de helmintos intestinais e ou de reação sorológica positiva para Toxocara, na amostra estudada, não interferiu com os títulos de anti-HBs avaliados sete anos após a vacinação com a vacina recombinante contra o vírus B da hepatite (VHB). A freqüência de títulos de anti-HBs menores de 10 UI/L observada na amostra não difere do observado em outros países, onde foi investigada em amostras semelhantes em relação à idade e tempo após a vacinação.
Palavras-chaves: Vacina contra hepatite B; anti-HBs; Toxocara; helmintos intestinais.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105