Avaliação da reação em cadeia de polimerase para identificação do complexo Mycobacterium tuberculosis em cultura de escarro no meio Bacted 12B.

Nome: Ana Cláudia Carvalho Gouveia
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 27/09/2006
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Moises Palaci Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
David Jamil Hadad Examinador Externo
Elenice Moreira Lemos Examinador Interno
Moises Palaci Orientador

Resumo: A utilização de métodos laboratoriais rápidos para a detecção e identificação do Mycobacterium tuberculosis é crucial para a prevenção e o controle da tuberculose. Embora técnicas baseadas na amplificação de ácidos nucléicos apresentem alta sensibilidade e reduzam consideravelmente o tempo de identificação deste bacilo, há uma grande carência de estudos sobre a avaliação de primers específicos para detecção de M. tuberculosis em meios de culturas líquido (BACTEC 12B e ou MGIT) em condições de rotina diagnóstica. Diante deste fato, propusemo-nos a avaliar a reação em cadeia da polimerase utilizando um par de primers específico para a IS6110 (PCR IS6110), para detecção do Complexo Mycobacterium tuberculosis em culturas em meios BACTEC 12B. Um total de 107 amostras de escarro foi processado e inoculado em meio de Ogawa e BACTEC 12B. Uma alíquota dos cultivos em meio 12B que apresentaram índice de crescimento (IC) igual ou maior a 30 foi submetida à amplificação através da PCR IS6110. Os resultados do método molecular foram comparados à identificação obtida através de métodos fenotípicos. Das 107 culturas avaliadas, 90 foram identificadas através dos métodos fenotípico e molecular como M. tuberculosis, e todas as culturas (n = 8) com crescimento de outras micobactérias que não M. tuberculosis apresentaram resultado de PCR negativo, com exceção de uma amostra. A identificação fenotípica não foi possível em dois cultivos que apresentaram crescimento concomitante de micobactérias e microrganismos contaminantes, sendo que estas duas culturas apresentaram resultado negativo de PCR. Os resultados das demais sete culturas foram negativos por ambos os métodos. A identificação molecular do M. tuberculosis foi especialmente relevante em 44 culturas provenientes de escarros que apresentaram baciloscopia negativa e em três culturas de BACTEC 12B contaminadas, sendo que, em média, a identificação ocorreu 5,5 e 16 dias, respectivamente, mais rápido quando comparada à identificação fenotípica. Os resultados obtidos em nosso estudo demonstram a eficácia da PCR IS6110 na identificação rápida de M. tuberculosis em cultivos de meios 12B (100% de sensibilidade e 87,5% de especificidade), e evidenciam a relevância da técnica no diagnóstico precoce da tuberculose pulmonar, sobretudo em pacientes paucibacilíferos.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105