Rinossinusites e doenças correlatas: Ocorrência dos achados clínicos e dos métodos diagnósticos complementares.

Nome: Christiane Saliba Helmer
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 18/12/2007
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Paulo Roberto Merçon de Vargas Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Fausto Edmundo Lima Pereira Examinador Interno
José Eduardo Lutaif Dolci Examinador Externo
Paulo Roberto Merçon de Vargas Orientador

Resumo: Embora raramente se associem com complicações graves, as rinossinusopatias acarretam grande morbidade, absenteísmo laboral e escolar e grande custo financeiro. Há poucos estudos clínicos descritivos sobre manifestações clínicas, otimização de métodos e critérios diagnósticos e sobre o perfil de co-morbidade segundo a etiopatogênese (estrutural, funcional, alérgica ou infecciosa). Objetivo: Descrever comparativamente os achados clínicos, do transporte mucociliar, citopatológicos, do teste cutâneo para alérgenos, endoscópicos e imaginológicos. Casuística e métodos: 212 casos recrutados dentre 2549 pacientes atendidos no Hospital da Polícia Militar e no Centro de Otorrinolaringológico, em Vitória, ES, entre 3 de janeiro de 2005 e 11 de maio de 2006; 10 tabagistas e 10 não tabagistas sem queixas rinossinusais foram adicionalmente recrutados para comparação. Os achados foram sumarizados como freqüências absoluta e relativa simples de acordo com o grupo etiopatogênico. Resultados: Anormalidade estrutural foi identificada em 10 (4,7%), funcional em 11 (5,2%), alérgica em 28 (13,2%), infecciosa em 13 (6,1%), mais de uma das precedentes em 136 (64,1%) e outras doenças em 14 (6,6%). Dentre as 612 comparações analisadas, 19% mostraram freqüência com incremento direto maior que 20% entre os grupos: rinossinusite, rinite alérgica, anormalidade anatômica e funcional. Conclusão: Estes resultados demonstram que a comorbidade é a regra e os achados, similares e sobrepostos entre as várias rinossinusopatias, demandam, para a sua distinção, a consideração concomitante dos aportes da história clínica, citopatologia, transporte mucociliar, endoscopia nasal e imaginologia.
PALAVRAS-CHAVES: Alergia nasal; rinossinusites; métodos diagnósticos; comorbidade; qualidade de vida.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105