Avaliação custo-efetividade da utilização de um teste rápido para pesquisa de anticorpos contra a core do vírus da Hepatite B (Anti-HBc) na triagem de doares de sangue em serviços de hemoterapia.

Nome: Fabrício Souza Pelição
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 17/12/2007
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Reynaldo Dietze Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Elenice Moreira Lemos Examinador Interno
Helio Moraes de Souza Examinador Externo
Reynaldo Dietze Orientador

Resumo: A infecção causada pelo vírus da hepatite B (VHB), apesar de conhecida há mais de 40 anos permanece, ainda, como um problema mundial de saúde pública. Estima-se que haja, atualmente, 2 bilhões de pessoas infectadas pelo VHB, com 350 milhões de portadores crônicos no mundo. A prevalência de hepatite B é bastante variável nos diversos países e, mesmo em diferentes regiões de um mesmo país, como é o caso do Brasil. No passado, uma das principais vias de aquisição da infecção era a transfusão de sangue. Felizmente, esse tipo de transmissão diminuiu, significativamente, pelo avanço nos testes para pesquisa de marcadores sorológicos do VHB. A pesquisa de anticorpos contra o core do VHB (Anti-HBc) em serviços de hemoterapia é defendida por muitos autores como forma de garantir a segurança dos produtos sangüíneos doados, porém é causa de altos níveis de descarte de bolsas de sangue e de elevação dos custos desses serviços. Neste estudo, realizado no Centro de Hemoterapia e Hematologia do Espírito Santo HEMOES, foram avaliados a efetividade e o custo da utilização de um teste imunocromatográfico (teste rápido) para detecção de anticorpos anti-HBc, aplicado antes da doação de sangue. Para isso, participaram do estudo 965 voluntários, candidatos à doação de sangue que compareceram ao HEMOES no período de 06/07/07 a 29/10/07. Desses candidatos, 771 foram considerados aptos pelos procedimentos de triagem, fornecendo amostras para avaliação do desempenho do teste rápido anti-HBc. O desempenho do teste rápido foi considerado bom, tendo sido aferido através de análise comparativa com um teste ELISA. Valores de sensibilidade e especificidade de, respectivamente, 88,2% (IC 95% 85,9 90,5%) e 98,4% (IC 95% 97,5 99,3%) foram obtidos. O teste rápido se mostrou exeqüível na rotina dos serviços de hemoterapia e não foi causa de insatisfação junto aos doadores de sangue. Quanto ao custo de sua utilização, sabe-se que será tanto menor quanto maiores forem os índices de prevalência encontrados. Na amostra estudada, a prevalência de doadores anti-HBc positivos foi de 3,9% e, mesmo diante de prevalência relativamente baixa, a utilização do teste rápido seria capaz de promover economias de R$ 964,80 (insumos) e de R$ 2.239,50 (insumos + recursos humanos).
PALAVRAS-CHAVES: Hepatite B, doadores de sangue.
.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105