Contribuição ao Estudo da Tuberculose Ocular.

Nome: Suzana Batista Vereza de Oliveira
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 21/12/2007
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Reynaldo Dietze Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Laurentino Biccas Neto Examinador Externo
Moises Palaci Examinador Interno
Reynaldo Dietze Orientador

Resumo: A Tuberculose (TB) ocular é considerada rara. O Brasil é um país com alta prevalência de tuberculose, porém a freqüência do acometimento ocular em nosso meio não é bem estabelecida. Neste trabalho, verificamos a freqüência e apresentações clínicas das lesões oculares associadas à TB em uma amostra de 143 pacientes com tuberculose. Para isso foi realizado entre novembro de 2003 e maio de 2006 no ambulatório de oftalmologia e enfermarias do Hospital Universitário Cassiano Antônio de Moraes um estudo transversal descritivo. O diagnóstico da manifestação ocular foi estratificado em 2 categorias: probabilidade e possibilidade. Os pacientes foram submetidos à avaliação oftalmológica de rotina, incluindo medida da acuidade visual, biomicroscopia, tonometria de aplanação, oftalmoscopia binocular indireta e, quando necessário, retinografia fluorescente. A freqüência de manifestações oculares encontrada foi de 4.2% (6/143). Nenhum dos pacientes com acometimento ocular era HIV positivo embora a taxa de co-infecção TB-HIV da população estudada tenha sido de 4.2%. Metade dos pacientes com acometimento ocular tinha TB miliar. Dos seis pacientes com lesão ocular, cinco preencheram o diagnóstico de probabilidade e um o de possibilidade.Em relação ao tipo de lesão ocular, dois pacientes apresentavam lesões bilaterais, sendo um caso de esclerouveíte e outro de nódulos em coróide. Nos outros quatro pacientes, as lesões eram unilaterais: obstrução vascular periférica em retina no OD (1 caso), e nódulos coroidianos em OD (2 casos) e em OE (1 caso). Em nenhum dos pacientes com acometimento ocular houve comprometimento da acuidade visual causada pela tuberculose. A freqüência (4.2%) de acometimento ocular da tuberculose encontrada no nosso estudo foi semelhante àquela descrita na literatura. Também concordando com a literatura, nódulos coroidianos de coloração amarelada com bordos irregulares e localizados no pólo posterior representaram o tipo de lesão mais freqüente e estavam presentes em 4 pacientes.
PALAVRAS-CHAVES: Tuberculose, Olho, Visão

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105