Variáveis geográficas e climáticas determinantes da ocorrência de Paracoccidioides sp no estado do Espírito Santo.

Nome: Paulo Mendes Peçanha
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 08/08/2022
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Aloísio Falqueto Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Aloísio Falqueto Orientador
Creuza Rachel Vicente Examinador Interno
Daniel Wagner de Castro Lima Santos Examinador Externo
Flávio de Queiroz Telles Filho Examinador Externo
Sarah Goncalves Tavares Examinador Interno

Resumo: A Paracoccidioidomicose (PCM) é uma infecção fúngica provocada por Paracoccidioides spp., que ocorre originalmente na América Latina e, mesmo tendo transcorrido 114 anos da identificação do agente, seu nicho ecológico ainda é pouco conhecido. Este estudo tem por objetivo definir as variáveis geográficas e climáticas determinantes da ocorrência de nichos naturais do fungo, que propiciam a ocorrência da infecção humana por Paracoccidioides no estado do Espírito Santo, importante região endêmica de PCM no Sudeste do Brasil. A população do estudo foi composta por casos diagnosticados com PCM, atendidos no Serviço de Doenças Infecciosas e Parasitárias do Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes/UFES no período de 1978 a 2018. Os dados epidemiológicos foram coletados nos prontuários dos pacientes e, os dados ambientais, a partir do georreferenciamento das localidades de procedência dos pacientes. Dados climáticos foram obtidos da base de dados WorldClim e informações geográficas foram extraídas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e do Sistema Integrado de Bases Georreferenciadas do estado do Espírito Santo (GEOBASES). Para a construção dos modelos de distribuição de Paracoccidioides foi utilizado o algoritmo de máxima entropia (MIAmaxent R package) capaz de estimar a distribuição provável de uma determinada espécie na área estudada, a partir de dados de presença. A validação dos modelos do nicho ecológico foi realizada por meio da Curva Característica de Operação do Receptor (ROC-plot). As variáveis que mais contribuíram para a construção do modelo preditivo de nicho ecológico de Paracoccidioides foram: precipitação no mês mais úmido (BIO 13), com 53% de contribuição, precipitação na estação mais seca (BIO 17), com 25%, radiação solar - valor mínimo dos 12 meses (SRADI), com 11%, pressão do vapor d`água - desvio padrão dos 12 meses (VAPRD), com 11%, e tipo de solo (GEOBASES), com contribuição de 6%. Além de quantificar a contribuição de cada variável, destacando a importância das precipitações na construção do modelo, neste estudo foi demonstrado pela primeira vez, a contribuição da radiação solar e pressão do vapor d’água na ocorrência do fungo. Os resultados deste trabalho, orientam investimentos públicos no treinamento de equipes regionais de saúde dirigidas para o diagnóstico e tratamento precoce da PCM, doença potencialmente incapacitante e mortal. Além de identificar áreas com maior probabilidade de ocorrência dos nichos naturais de Paracoccidioides aqui no estado, nossos achados podem ainda ser extrapolados para estados vizinhos do Sudeste brasileiro, onde aparecem áreas com clima e topografia semelhantes às do Espírito Santo.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105