GENÓTIPOS DE ROTAVÍRUS DO GRUPO A E ANTÍGENOS DE GRUPO
SANGUÍNEO EM CRIANÇAS COM DIARREIA AGUDA INFECTADAS POR
ROTAVÍRUS E NOROVÍRUS

Nome: Marco André Loureiro Tonini
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 10/03/2021
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Liliana Cruz Spano Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Liliana Cruz Spano Orientador
Marcia Terezinha Baroni de Moraes e Souza Examinador Externo
Mariela Martínez Gómez Examinador Externo
Moises Palaci Examinador Interno
Ricardo Pinto Schuenck Examinador Interno

Resumo: Rotavírus e norovírus são as principais causas de diarreia aguda em crianças no mundo.
A susceptibilidade do hospedeiro de acordo com os antígenos de grupo sanguíneo
(HBGAs) é amplamente conhecida para a infecção por norovírus, mas menos descrita
para o rotavírus. Devido ao polimorfismo variável de HBGA entre populações, nosso
objetivo foi avaliar a associação entre os fenótipos de HBGA (ABH, Lewis e status
secretor) e a susceptibilidade à infecção sintomática por rotavírus e norovírus, e os
polimorfismos de FUT2 e FUT3, de crianças da região Metropolitana de Vitória, Espírito
Santo, sudeste do Brasil. Além disso, avaliamos os genótipos P e G de rotavírus e os
genótipos de norovírus que infectaram essas crianças. Amostras fecais de 307 crianças
com diarreia aguda e swabs bucais de 272 dessas foram usados para detectar e determinar
os genótipos de rotavírus/norovírus e fenótipos/genótipos de HBGAs, respectivamente.
Ao todo, 101 (32,9%) crianças foram infectadas por rotavírus e/ou norovírus. O genótipo
G12P[8] (48,6%) de rotavírus foi o mais frequentemente detectado entre as amostras
seguido de G3P[8] (11,4%) e G2P[4] (5,7%). O sequenciamento de nucleotídeos das
amostras G3P[8], único genótipo detectado nas amostras de 2018, demonstrou que essas
pertencem ao genótipo emergente G3P[8] “equine-like”, cepa predominante atualmente
nos casos de diarreia no Brasil e no mundo. A maioria dos norovírus (93,8%) pertenceu
ao genogrupo II (GII). O genótipo GII.4 Sydney representou 76% (35/46) entre cinco
outros genótipos. Rotavírus e norovírus infectaram predominantemente crianças com o
status secretor (97% e 98,5%, respectivamente). No entanto, menos crianças infectadas
por rotavírus eram Lewis-negativas (8,6%) do que as infectadas por norovírus (18,5%).
Os polimorfismos de um nucleotídeo (SNP – “single nucleotide polymorphisms”) em
FUT3 ocorreram principalmente nas posições T59G > G508A > T202C > C314T. O
predomínio de genótipos emergentes no estudo evidencia a importância de uma vigilância
continua dos rotavírus com o objetivo de monitorar o surgimento de genótipos incomuns
e o impacto que podem trazer para o programa de vacinação. Além disso, nossos
resultados reforçam o conhecimento de que os indivíduos secretores são mais suscetíveis
à infecção por rotavírus e norovírus do que os não secretores. A alta taxa de Lewis
negativo (17,1%) e a combinação de SNPs, além do status de secretor, podem refletir a
grande heterogeneidade da população no Brasil.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105