PESQUISA DE DNA DE PLASMODIUM EM AMOSTRAS DE FÍGADO DE SÍMIOS MORTOS

Nome: Cintia Furieri
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 07/04/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Crispim Cerutti Junior Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Crispim Cerutti Junior Orientador
Ethel Leonor Noia Maciel Examinador Externo
Monalessa Fábia Pereira Examinador Externo

Resumo: Furieri C. Pesquisa de DNA de Plasmodium em amostras de fígado de símios mortos. Dissertação (Mestrado). Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo, 2020. 88 p.
A malária é um dos principais problemas de saúde pública mundial. Apesar de notória pela distribuição de casos na região Amazônica, nas florestas densas do sudeste brasileiro é sabidamente endêmica e, nessas áreas, a infecção é denominada malária residual de sistemas de Mata Atlântica. Nessa região, também é comprovada a presença de malária símia. Dada a possibilidade da doença ser uma zoonose nesse contexto, é necessário compreender a sua dinâmica nas populações de primatas não-humanos, para que se possa prever o risco zoonótico. Além disso, a transferência do Plasmodium entre os símios e os seres humanos merece ser investigada. O objetivo desse trabalho foi identificar a presença de DNA de Plasmodium em amostras de fígado de símios mortos pela febre amarela nos municípios da região montanhosa do Espírito Santo. A última epizootia de febre amarela registrada no estado resultou na morte de muitos símios. Tal fato possibilitou a coleta de fragmentos de fígado dos corpos dos primatas não humanos que puderam ser localizados. Por meio da extração de DNA dessas amostras e amplificação por RT-qPCR, foi investigada a presença de DNA de Plasmodium spp. Foram analisados 70 fragmentos de fígado de símios oriundos dos municípios de Santa Maria de Jetibá, Domingos Martins, Santa Teresa, Marechal Floriano, Vila Velha, Sooretama, São Mateus, Afonso Claúdio e Itaguaçu, no estado do Espírito Santo, e de Caratinga, em Minas Gerais. Para a extração do DNA foi utilizado o kit comercial da empresa Qiagen (DNeasy Blood and Tissue Kit), segundo protocolo do fabricante (Spin-Column Protocol). A amplificação por PCR realizada foi quantitativa em tempo real (RT-qPCR) no sistema Taqman. Os experimentos foram conduzidos no Instituto de Medicina Tropical, na Universidade de São Paulo (IMT-USP), em colaboração técnica com a equipe do Laboratório de Protozoologia. Nas 70 amostras de fígado analisadas, foi verificada uma frequência de 15 positivas (21,43%): sete para Plasmodium falciparum, quatro para Plasmodium malariae, uma para Plasmodium vivax, uma para Plasmodium vivax e P. falciparum concomitantemente e duas para o gênero Plasmodium. Das amostras positivas,
cinco foram coletadas de símios encontrados em Domingos Martins, quatro em Santa Maria de Jetibá, uma em Santa Teresa, uma em Marechal Floriano, uma em Caratinga/MG e três em localizações desconhecidas. Com relação à espécie dos símios cujos fragmentos foram positivos, todos eram Alouatta guariba. Dada a importância dos símios como hospedeiros de doenças zoonóticas e sua atuação como reservatório de várias doenças infecciosas emergentes, a comprovação da presença de Plasmodium spp. neles pode indicar um papel para as populações de primatas não-humanos na manutenção da transmissão da malária em regiões próximas de áreas de Mata Atlântica

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105