DESEMPENHO E SEGURANÇA DA ANFOTERICINA B LIPOSSOMAL (AMBISOME®) NO TRATAMENTO DE INDIVÍDUOS COM LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: UMA SÉRIE DE CASOS

Nome: Sabrina Mendonça Marçal Alves
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 15/03/2018
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Blima Fux Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Blima Fux Orientador
Crispim Cerutti Junior Examinador Interno
Sandra Fagundes Moreira da Silva Examinador Externo

Resumo: A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é uma doença zoonótica, rural e periurbana, causada por protozoários intracelulares obrigatórios do gênero Leishmania, transmitidos por insetos do gênero Lutzomyia. Os antimoniais pentavalentes constituem a terapêutica de primeira linha, mas causam efeitos colaterais sérios, principalmente sobre a função elétrica do coração, sendo contraindicados em cardiopatas, nefropatas, hepatopatas, gestantes e em pessoas com mais de 50 anos de idade. Neste cenário, tem se proposto o uso da anfotericina b lipossomal (AmBisome®), mais segura e eficaz. Contudo, existem poucos relatos sobre sua segurança e desempenho na literatura, com poucas e curtas séries de casos, além de um regime terapêutico ideal ainda indefinido. Esta pesquisa tem por objetivo analisar a segurança e desempenho da anfotericina b lipossomal (AmBisome®) no tratamento de LTA, contribuindo para o debate junto à comunidade científica e estimulando a publicação de experiências semelhantes. Da amostra total de 34 pacientes, 19 (64,7%) apresentaram efeitos colaterais ao uso do Ambisome®, com baixa repercussão clínica, sendo a droga bem tolerada na maioria dos pacientes. O principal efeito colateral foi o aumento da ureia e creatinina e dos íons, manejável durante o tratamento. Houve cura clínica em 31 pacientes (91,1%), falha terapêutica em dois pacientes (5,9%) e óbito por outras causas em um paciente (3%). Faz-se a ilação que o desempenho da droga pode estar relacionado a regimes de tratamento mais prolongados, permitindo doses ajustáveis a cada situação clínica. As doses diária e total pareceram não ter consequência sobre o desempenho do tratamento. Conclui-se que a anfotericina b lipossomal é a droga mais segura e eficaz dentre os leishmanicidas e a melhor opção terapêutica para as contra-indicações clínicas ao antimonial pentavalente.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105