Soroprevalência e Características Epidemiológicas da Toxoplasmose em Área Rural de Santa Teresa, Espírito Santo.

Nome: Julyana Cerqueira Buery
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 19/03/2013
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Blima Fux Co-orientador
Crispim Cerutti Junior Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Angelica Espinosa Barbosa Miranda Suplente Interno
Blima Fux Coorientador
Crispim Cerutti Junior Orientador
Ethel Leonor Noia Maciel Examinador Interno
Rita de Cássia Ribeiro Gonçalves Suplente Externo
Rosely dos Santos Malafronte Examinador Externo

Resumo: Este estudo tem como objetivo analisar a prevalência e incidência anual da infecção assintomática causada pelo protozoário Toxoplasma gondii. Avaliou-se 311 amostras provenientes de 79 indivíduos residentes em área rural do município de Santa Teresa, no estado do Espírito Santo. Os dados demográficos, socioeconômicos e de fatores associados à infecção foram coletados utilizando questionários, que foram atualizados trimestralmente. A seleção dos indivíduos foi realizada a partir de uma coorte pré-existente, referente ao estudo de casos assintomáticos de malária na região montanhosa do estado. Após seleção dos participantes, o plasma foi coletado trimestralmente para realização da sorologia anti-T. gondii pela técnica de ELISA e complementado a investigação, o teste de avidez de IgG dos indivíduos positivos foi executado para avaliação da taxa de soroconversão nessa coorte. A prevalência de infecção pelo Toxoplasma gondii na comunidade foi de 67,1% e a incidência foi de 6,2 por 100 pessoas-ano de observação. Não foi encontrada uma associação estatisticamente significativa entre os indivíduos que tiveram contato com gatos e nem entre o consumo de carne de porco ou carneiro, mesmo crua ou mal cozida, e a toxoplasmose. Segundo a análise multivariada, o único fator de risco que está relacionado com a infecção parece ser o aumento da idade dos indivíduos (OR = 1,086). Confirmando dados da literatura, a análise estatística mostrou que a cada ano que passa, os indivíduos estão 8,6% mais propensos a adquirir toxoplasmose.

PALAVRAS CHAVES: Toxoplasma gondii; Toxoplasmose; População Rural; Epidemiologia; Fatores de Risco; Brasil.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105