Expressão de receptores inibitórios e seus ligantes em lesões de pacientes
com leishmaniose cutânea localizada causada por Leishmania braziliensis

Nome: Renan Garcia de Moura
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 23/08/2019

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Fausto Edmundo Lima Pereira Examinador Interno
Ricardo Gonçalves Examinador Externo

Resumo: Parasitas do subgênero Viannia, que incluem Leishmania (Viannia) braziliensis, são as
espécies causadoras de leishmaniose cutânea (LC) de maior distribuição nas Américas. O
desenvolvimento de lesões cutâneas durante a CL é prevalente em mais de 90% dos casos e é
caracterizado por uma intensa resposta imune local mediada por células TH1, produção de
proteínas citolíticas e óxido nítrico que contribuem para o controle do parasita e dano tecidual.
Além disso, o aumento da produção de mediadores pró-inflamatórios, como TNF-α e IFN-γ, é
observado sistemicamente e localmente em pacientes infectados, desempenhando um papel
importante na patogênese da doença. Esse estado inflamatório exacerbado pode induzir a
expressão de receptores inibitórios (IR), como PD-1 e TIM-3, na superfície das células T e
seus ligantes em células-alvo, os quais seus efeitos na LC são pouco compreendidos. Além
disso, a inflamação crônica pode induzir a diferenciação de células T de memória, que passam
a expressar os marcadores de superfície, como KLRG1 e CD57, a um ponto que sua taxa de
replicação é prejudicada, podendo causar impactos no controle da doença. Nesse cenário,
avaliamos a expressão dessas moléculas em células T locais, macrófagos e neutrófilos de
pacientes com LC a fim de ver se a infecção os modulava. Nossos resultados indicam que há
um acúmulo de células CD4+ e CD8+ nas lesões e que essas células também expressam PD-1,
TIM-3, KLRG1 e CD57 em uma frequência mais alta que na pele normal. Além disso,
macrófagos e neutrófilos estavam presentes em maior frequência em pacientes do que em
controles saudáveis, sendo também o único grupo em que os ligantes PD-L1 e PD-L2 foram
expressos. Os resultados deste trabalho contribuem para uma melhor compreensão dos RI e
seu papel na imunopatogênese da LC, visto que sua expressão compromete a resposta
imunológica, o que pode prejudicar a resposta local e favorecer a persistência do parasito

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105