Caracterização de S. epidermidis hospitalares e comunitários: Aspectos fenotípicos e genotípicos da formação do biofilme e de resistência aos antimicrobianos

Resumo: O freqüente uso de tecnologias invasivas como implantes médicos, cateteres intravasculares em pacientes debilitados têm crescido, e concomitantemente o risco de infecções associado, trazendo o Staphylococcus epidermidis como patógeno hospitalar resultando em considerável morbidade e gastos para seu tratamento. S. epidermidis, colonizador de pele e mucosas, é causa freqüente de infecções relacionadas a cateter por sua habilidade em formar biofilme. Assim, é de crucial importância a diferenciação entre cepas colonizadoras e as responsáveis pela infecção e por isso a produção de biofilme tem sido sugerida como um marcador capaz de diferenciar tais cepas podendo auxiliar no diagnóstico das bacteriemias verdadeiras. Entretanto, poucos trabalhos são conclusivos a esse respeito devido à falta de metodologias acuradas para esse proposito. Resultados prévios obtidos pelo nosso grupo, sugerem que o ambiente hospitalar favorece a seleção de S. epidermidis resistentes a oxacilina com maior capacidade de produção de biofilme. Portanto, este projeto tem por objetivo a verificação da capacidade de formação do biofilme por métodos fenotípicos e moleculares entre amostras de S. epidermidis na tentativa de definir diferenças entre cepas patogênicas e comensais.

Data de início: 2010-05-01
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Ana Paula Ferreira Nunes
Pesquisador Thais Dias Lemos Kaiser
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900