Análise de um procedimento simplificado de coleta de escarro para avaliação da atividade bactericida precoce de fármacos contra a tuberculose.

Nome: Cristina Paula do Nascimento
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 25/04/2011
Orientador:

Nomeordem crescente Papel
Moises Palaci Orientador

Banca:

Nomeordem crescente Papel
Reynaldo Dietze Examinador Interno
Moises Palaci Orientador
Marcus Barreto Conde Examinador Externo
Angelica Espinosa Barbosa Miranda Suplente Interno

Resumo: Em ensaios clínicos para avaliação de novos fármacos contra a tuberculose a principal metodologia utilizada é a avaliação da atividade bactericida precoce (ABP), que consiste em quantificar a queda da carga bacilar presente na amostra de escarro, por meio de coletas noturnas com duração de 12 a 16 horas, durante os dois primeiros dias de tratamento. Contudo, nos ensaios clínicos, o procedimento de coleta de escarro por um período de 12 a 16 horas apresenta vários inconvenientes. Requer internação e distanciamento do paciente da família, oferece maior risco de contaminação da cultura, apresenta maior custo financeiro em decorrência da internação do paciente e proporciona desconforto ao paciente por ter que coletar amostra de escarro durante um longo período. Diante destes fatos nos propusemos a desenvolver e avaliar um procedimento de coleta de escarro mais simples, com menor tempo, que não requeira a internação do paciente e que apresente a mesma eficiência de um procedimento por 12 horas. Para esse propósito foram realizadas culturas quantitativas de escarro, para mensurar a carga bacilar de diferentes procedimentos de coletas: pontual, 5 horas e 12 horas. Para avaliação dos procedimentos de coletas este trabalho foi dividido em duas etapas. Na primeira etapa ao comparar-se as cargas bacilares de escarro provenientes de coletas pontual e por um período de 5 ou 12 horas, verificou-se não haver diferença estatística significante (p = 0, 27), entre as cargas bacilares das coletas de 5 horas (6,08 log10 UFC/mL) e 12 horas (6,16 log10UFC/mL). Ao passo que a diferença de carga bacilar da coleta pontual (5,53 log10UFC/mL), mostrou-se estatisticamente significante quando comparada aos procedimentos com duração de 5 e 12 horas (p < 0,001). Para a segunda etapa os pacientes foram submetidos a 4 procedimentos de coletas em dias consecutivos: 2 coletas por 5 horas e 2 coletas por um período de 12 horas para se analisar a variação de carga bacilar intra e inter-paciente. Assim ao compararmos a variação de carga bacilar intra-paciente dos procedimentos de 5 horas (0, 029 log10 UFC/mL) e 12 horas (0, 01 log10 UFC/mL), não foi verificada diferença estatisticamente significante (p = 0, 56). Além disso, a coleta matinal permitiu reduzir a variação inter-paciente e melhorar a precisão de estimativa da média de variação de carga bacilar de um dia de coleta para o outro (erro padrão da coleta 5 horas = 0, 019 e erro padrão da coleta 12 horas = 0, 028). Com base nos resultados foi demonstrado que uma adequada coleta de escarro matinal por 5 horas apresenta uma população de Mycobacterium tuberculosis, tão representativa quanto à proporcionada pelo procedimento de coleta noturno com duração de 12 horas. Dessa forma, o procedimento de escarro simplificado (5 horas) proposto pelo presente estudo pode ser utilizado em ensaios clínicos de avaliação de ABP em substituição a coleta por 12 horas, sem prejuízo a avaliação da ABP do fármaco em estudo.
PALAVRAS-CHAVE: atividade bactericida precoce, coleta de escarro, ensaio clínico, Mycobacterium tuberculosis, tuberculose.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105