Avaliação do desempenho da pesquisa de anticorpos anti-toxoplasma por citometria de fluxo no diagnóstico da toxoplamose aguda humana.

Nome: Priscila Pinto e Silva dos Santos
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 05/03/2010
Orientador:

Nome Papelordem decrescente
Elenice Moreira Lemos Orientador

Banca:

Nome Papelordem decrescente
Deise Aparecida de Oliveira Silva Examinador Externo
Fausto Edmundo Lima Pereira Examinador Interno
Elenice Moreira Lemos Orientador
Blima Fux Suplente Interno

Resumo: RESUMO: O diagnóstico da toxoplasmose baseia-se principalmente, na detecção de anticorpos específicos em soro de pacientes, por meio de ensaios sorológicos. As maiores limitações referem-se à alta prevalência de anticorpos de IgG e IgM persistentes por longos períodos, dificultando o diagnóstico da infecção aguda. Portanto, este estudo teve como objetivo avaliar o desempenho da imunofluorescência indireta por citometria de fluxo para a pesquisa de anticorpos anti-taquizoítas fixados (AATF) de T. gondii e avidez de IgG no sorodiagnóstico da toxoplasmose aguda humana. Foram analisadas amostras de pacientes com toxoplasmose aguda (AG), crônica (CR) e de indivíduos não-infectados (NI). A pesquisa de AATF IgM permitiu segregar os grupos AG e CR utilizando a diluição de 1:32.000 e ponto de corte (PC) de 40% de porcentagem de parasitos fluorescentes positivos (PPFP), com sensibilidade de 100% e especificidade de 90%. Entretanto, a pesquisa de AATF IgG, utilizando PC de 10% e diluição 1:32.000 permitiu segregar apenas os grupos AG e NI, com 93,3% de sensibilidade e 100% de especificidade. Quanto à pesquisa de AATF subclasses de IgG, as diluições escolhidas aplicadas no diagnóstico da toxoplasmose aguda, utilizando como controle o grupo NI foram 1:32.000 para IgG1, 1:400 para IgG2, 1:2.000 e 1:8.000 para IgG3 e 1:400 e 1:1.600 para IgG4 e PC de 10%, para todas as subclasses. Entretanto, apenas AATF IgG2 e AATF IgG4 apresentaram 100% de sensibilidade e especificidade. A pesquisa da avidez de IgG quando aplicada na segregação dos grupos AG e CR, apresentou 100% de sensibilidade e especificidade. Utilizando-se a pesquisa de AATF IgM como ensaio inicial, e avidez de IgG como ensaio confirmatório, foi possível estabelecer o diagnóstico da toxoplasmose aguda, com 100% de sensibilidade e especificidade. Na avaliação da reatividade cruzada de IgM foram encontrados resultados falso-positivos, apenas para pacientes portadores de malária e mononucleose infecciosa. Os índices de desempenho demonstraram melhor desempenho da pesquisa de anticorpos anti-T. gondii por citometria de fluxo do que pelo sistema VIDAS® TOXO (ELFA Enzyme Linked Fluorescente Assay) no diagnóstico da toxoplasmose aguda. Esses resultados demonstram a aplicabilidade da citometria de fluxo para pesquisa de anticorpos anti-T. gondii, como uma importante ferramenta no diagnóstico da toxoplasmose aguda humana.
Palavras-chave: Toxoplasmose aguda humana, diagnóstico sorológico, citometria de fluxo.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105