Análise Fenotípica e Funcional de Células Dentríticas e Monócitos, em Pacientes com Tuberculose Pulmonar Co-infectados por Helmintos Intestinais.

Nome: Flavia Dias Coêlho da Silva
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 28/04/2009
Orientador:

Nomeordem crescente Papel
Rodrigo Ribeiro Rodrigues Orientador

Banca:

Nomeordem crescente Papel
Rodrigo Ribeiro Rodrigues Orientador
Fausto Edmundo Lima Pereira Examinador Interno
Andréa Teixeira de Carvalho Examinador Externo

Resumo: A Tuberculose (TB) ainda é uma ameaça global à humanidade, sem vacina eficaz disponível até momento. Estudos epidemiológicos têm demonstradoque o Mycobacterium tuberculosis (MTB) e os helmintos são coendêmicos em muitas regiões no mundo, e que as coinfecções com esses patógenos são freqüentes. A infecção por helmintos intestinais pode ser um dos fatores de risco para o desenvolvimento da TB pulmonar ativa. Através de marcações fenotípicas e dosagem de citocinas e quimiocinas, pretendemos mostrar que os vermes são capazes de desviar a resposta Th-1 protetora para a Tuberculose para a Th-2 característica nas helmintíases intestinais. Cultura de sangue total para dosagem de citocinas e quimiocinas pela técnica de microesferas marcadas para leitura em citômetro de fluxo, em conjunto com a imunofenotipagem de células dendríticas (DCs) e monócitos/macrófagos através de marcadores extra e intracelulares via citometria, foram utilizadas com o objetivo de se estudar alguns aspectos da imunidade inata em pacientes com TB, com TB e helmintíases intestinais (TB+HELM), com helmintos, e controles saudáveis. Para tal foram avaliados: a) o número e fenótipo de DCs e monócitos/macrófagos do sangue periférico; e b) a produção de citocinas (IL-10, IL-12, TNF-, IL-6 e IL-1) e de algumas quimiocinas (CCL2, CCL5, CXCL-8, CXCL9 e CXCL-10) no sobrenadante de cultura de sangue total após estímulo com antígenos de MTB. A análise de células dendríticas e macrófagos circulantes, e a avaliação de citocinas e quimiocinas em pacientes com TB+HELM, nos permite concluir que: a) A maioria das DCs apresentava fenótipo de células imaturas. Entre as células com fenótipo de células maduras, existiam células mDC DC-SIGN+e pDC CD123+CD40+, fenótipos compatíveis com DCs maduras indutoras de resposta Th-2; b) A maior parte dos macrófagos avaliados estava ativada e expressava DC-SIGN (fenótipo é compatível com macrófagos M2); c) A produção de citocinas mostrou-se significativamente maior para IL-10, TNF- e IL-6, enquanto IL-1 teve uma tendência ao aumento. No entanto, os níveis de IL-12 permaneceram semelhantes ao grupo controle; d) Redução significante da produção de CCL-2, tendência à menor produção de CXCL-8 e aumento não significativo deCXCL-10 foram observados, ao passo que quimiocinas CXCL-9 e CCL-5 não foram detectadas. Embora o número de casos estudados não permita uma afirmação conclusiva, as observações admitem a possibilidade de que a infecção com helmintos intestinais em pacientes com tuberculose possa estar interferindo na resposta Th-1 aos antígenos de MTB. PALAVRAS-CHAVES: TB, Helmintos intestinais, DCs, macrófagos, TLRs, DC-SIGN, IL-12 e IL-10.

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Bonfim, Vitória - ES | CEP 29047-105