Diversidade genética de rotavírus do grupo A e de norovírus em crianças com diarreia aguda e avaliação do fenótipo ABH, Lewis e secretor como determinante da susceptibilidade à infecção

Resumo: Os rotavírus (RV) e norovírus (NoV), constituídos por distintos genótipos e variantes, são as principais causas de morbidade e mortalidade de crianças com diarreia e medidas de saneamento e de higiene conferem pouco impacto na prevenção. Controle da infecção pelo RV baseia-se em estratégia imunopreventiva, cujo sucesso deve ser acompanhado pelo monitoramento de genótipos circulantes. Susceptibilidade à infecção tem sido em parte determinada pelos receptores celulares para ambos os vírus, como os antígenos de grupo sanguíneo (HBGA).
Este estudo propõe analisar a diversidade genética de RV do grupo A (RV-A) e de NoV em crianças com diarreia aguda atendidas em Pronto Socorro ou hospitalizadas em dois hospitais (HINSG e HUCAM) do Município de Vitória ou encaminhadas ao LACEN/SESA, avaliar o fenótipo de HBGA (ABH, Lewis e secretor) nas crianças infectadas como determinante da susceptibilidade à infecção (atendidas nos hospitais), e analisar a especificidade de ligação da proteína VP8* (reconhecedora de receptor) de genótipos de RV mais comuns encontrados nas crianças e comparar com as de outras partes do mundo.
Serão obtidos espécimes fecais e saliva/swab oral de crianças menores de 5 anos atendidas com diarreia nos hospitais (PS ou hospitalizadas) e espécime fecal encaminhado ao LACEN. RV e NoV serão detectados por ensaioimunoenzimático (EIE). RNA viral será extraído de suspensão fecal de casos positivos por EIE para: (i) determinação de espécie/grupo de RV por eletroforese em gel de poliacrilamida; (ii) amplificação de fragmento dos genes que codificam proteínas VP4 e VP7 e sequenciamento para determinação dos genótipos P e G de RV; (iii) real-time PCR para determinação de genogrupo de NoV e; (iv) sequenciamento de VP1 e de junção ORF1-ORF2 para determinar genótipo e eventos de recombinação em NoV, respectivamente. A partir da saliva/swab bucal das crianças infectadas com RV ou NoV será determinado: (i) fenótipo HBGA e estado secretor por EIE; (ii) sequenciamento da enzima FUT2 (que determina estado secretor) para evidenciar variação alélica. A proteína VP8* (aminoácidos 64-224) será clonada por recombinação, expressa em vetores e purificada para análise da especificidade de ligação a uma matriz de glicanos seguido por detecção do padrão de ligação com anticorpos fluorescentes. Este último procedimento será realizado no Institut Fédératif de Recherche Thérapeutique de Nantes, França, com a colaboração de Dr. Jacques Le Pendu.
O monitoramento dos RVs na era vacinal é ferramenta imprescindível para compreensão da dinâmica de circulação dos genótipos diante da pressão seletiva gerada pela vacinação. Este estudo permitirá ainda determinar o impacto da diarreia causada por genótipos/variantes de NoV que, além de serem principais responsáveis por surtos, com o controle da infecção por RV passam a ser a principal causa infecciosa da diarreia. Ainda, contribuirá com os estudos recentes que descrevem especificidade de ligação de RV a glicanos dependente do genótipo viral e análise frente à população acometida.

Data de início: 2014-10-01
Prazo (meses): 48

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Doutorado Débora Maria Pires Gonçalves Barreira
Colaborador Fernando Vicentini
Colaborador Rita Elizabeth Checon de Freitas Silva
Coordenador Liliana Cruz Spano
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900