Detecção, quantificação e determinação dos genótipos de NoroVírus em crianças de até três anos de idade, com e sem sintomas de gastroenterite aguda, atendidas no pronto socorro de um hospital pediátrico em Vitória-ES.

Resumo: Norovírus (NoVs) são importantes agentes etiológicos de gastroenterite aguda em todo o mundo. NoVs foram pesquisados por RT-PCR em um total de 319 amostras fecais de crianças de até três anos de idade com (n=229) e sem (n=90) sintomas de gastroenterite, entre fevereiro de 2003 e junho de 2004, atendidas no pronto socorro de um hospital pediátrico em Vitória-ES. RNA de NoVs foram quantificados por RT-PCR em tempo real, seqüenciados e submetidos a análise filogenética. NoVs foram detectados em 17% (40/229) e em 13% (12/90) de crianças sintomáticas e assintomáticas, respectivamente. Foram observadas cinco infecções mistas de NoV-rotavírus A nas crianças sintomáticas. Os genogrupos de NoVs foram caracterizados como: GII (51/52) e GI (1/52). Seqüenciamento e análises filogenéticas classificaram 20 cepas nos seguintes genótipos: 9 GII/4 (45%), 1 GII/3 (5%), 2 GII/6 (10%) e 1 GII/14 (5%) em crianças sintomáticas e 6 GII/3 (86%) e 1 GII/8 (14%) crianças assintomáticas. A mediana da concentração de RNA viral foi de 8,39 versus 7,15 log10 cópias/g de fezes para crianças sintomáticas e assintomáticas, respectivamente (p=0,011). Concentração de NoVs foi menor quando presente em infecção mista com rotavirus (p=0,003). Vômito e diarréia foram observados em 97,5% dos casos positivos e não apresentaram associação com concentração viral. Este estudo demonstra uma grande diversidade de cepas de NoVs na área geográfica do estudo, evidencia GII/4 como o genótipo mais prevalente nas crianças sintomáticas e destaca GII/3 em uma importante frequência, especialmente em crianças assintomáticas. Ainda, revela os genótipos GII/8 e GII/14 pela primeira vez no continente americano. Os resultados preliminares mostram uma concentração fecal de NoVs em pacientes sintomáticos significantemente maior do que em pacientes assintomáticos e sugere que os rotavírus A podem ter uma ação supressora na replicação de NoVs quando ocorre em infecção mista.

Data de início: 2010-03-01
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Aluno Mestrado Débora Maria Pires Gonçalves Barreira
Coordenador Liliana Cruz Spano
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900