Identificação de Proteínas Diferencialmente Expressas em Isolados Clínicos de Leishmania chagasi Sensíveis e Resistentes à Miltefosina por Eletroforese 2D Diferencial Acoplada à Espectrometria de Massas (2D-DIGE/MS)

Resumo: Um dos maiores avanços na pesquisa de drogas com atividade anti-Leishmania foi a descoberta de uma droga oral efetiva, a miltefosina. A miltefosina tem sido utilizada com sucesso para o tratamento de leishmaniose visceral (LV) na Índia, com um índice de cura de 94%. Entretanto, resistência à miltefosina tem sido observada para a espécie L. braziliensis com taxa de cura variando de 53% a 88%. Diferenças de susceptibilidade à miltefosina em isolados de L. chagasi também foram observadas por nosso grupo de pesquisa durante um ensaio clínico realizado no Brasil para avaliar a eficácia da miltefosina no tratamento de pacientes portadores de LV. Os resultados desse estudo mostraram que cerca de 50% dos pacientes avaliados apresentaram recidiva após o tratamento. Na ausência de novas drogas, o conhecimento sobre as bases moleculares da falência do tratamento e o desenvolvimento de novas ferramentas para detecção desse fenômeno podem contribuir para o uso racional da miltefosina e para traçar novas estratégias terapêuticas para o seu uso no tratamento da LV. Nesse contexto, a caracterização da expressão protéica por abordagem proteômica, tem se mostrado uma estratégia efetiva na identificação de marcadores moleculares envolvidos no fenótipo de resistência a drogas em parasitas do gênero Leishmania.

Data de início: 2012-08-01
Prazo (meses): 24

Participantes:

Papelordem decrescente Nome
Coordenador Elenice Moreira Lemos
Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900