ANÁLISE ESPACIAL DA TRANSMISSÃO DE GENOTIPOS DE Mycobacterium tuberculosis EM VITÓRIA, ES-BRASIL

Nome: Fabíola Karla Corrêa Ribeiro
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 26/02/2015
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Ethel Leonor Noia Maciel Co-orientador
Moises Palaci Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Aloísio Falqueto Examinador Interno
David Jamil Hadad Suplente Externo
Liliana Cruz Spano Examinador Interno
Martha Maria de Oliveira Examinador Externo
Moises Palaci Orientador
Philip Noel Suffys Examinador Externo

Resumo: A genotipagem de isolados de Mycobacterium tuberculosis permite o estudo da dinâmica da transmissão da tuberculose (TB), enquanto técnicas de geoprocessamento permitem a realização concomitante da análise espacia dos dados clínicos e epidemiológicos. No presente estudo, dados genotípicos e análise especial foram combinados para caracterizar a transmissão da TB em Vitória ES Brasil e identificar áreas e fatores de risco associados à transmissão recente da doença. Material e Métodos. No período de janeiro de 2003 a dezembro de 2007, 503 isolados foram genotipados pelos métodos de análise de polimorfismo de fragmentos de DNA (RFLP) e Spoligotyping. A análise espacial incluiu a estimativa de densidade de Kernel, a análise por função K e uma análise de distâncias pelo teste t- Student. Os isolados de M. tuberculosis que apresentaram perfis genotípicos idênticos foram agrupados em clusters e considerados parte de uma cadeia de transmissão recente (casos). Resultados. Dos 503 isolados, 242 (48%) foram categorizados em 70 diferentes clusters pertencentes a 12 famílias de RFLP. A taxa de transmissão recente foi de 34.2%. O mapa de densidade de Kernel indicou 3 áreas de maior concentração de casos. A análise por função K mostrou que tanto clusters quanto famílias de RFLP tendem a se agrupar no espaço. A análise de distâncias pelo t-Student confirmou esses resultados, além de mostrar que isolados com perfis genotípicos únicos (controles) tendem a se distribuir de forma aleatória no espaço. Um modelo logit com efeito randômico de vizinhança foi utilizado para análises univariadas e multivariada dos fatores de risco associados. Quando as probabilidades preditivas calculadas para cada bairro foram mapeadas, foi possível a identificação dos bairros onde é maior o risco de transmissão recente da TB. Conclusões. A clusterização tanto espacial quanto genotípica dos isolados de M. tuberculosis revelou a ocorrência de transmissão recente da TB, causada por um número relativamente pequeno de genotipos, em áreas bem definidas. Esses dados auxiliam no planejamento mais direcionado de estratégias para controle da doença, como, por exemplo, por meio de uma investigação mais rigorosa e orientada dos contatos, levando-se em consideração o território.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Marechal Campos, 1468 - Maruípe, Vitória - ES | CEP 29043-900